Foi no maior clima de Oscar que o CEO da Apple abriu mais um aguardado evento da marca nesta terça-feira. Aliás, a atmosfera não poderia ser outra depois que produções originais do Apple TV+ receberam indicações ao prêmio da Academia. Falando ao vivo da sede da empresa nos EUA, Tim Cook começou destacando os filmes da casa candidatos à estatueta. A seguir, conduziu a apresentação dos lançamentos da Apple para este trimestre – que culminou na revelação do surpreendente Mac Studio. 

Apple TV+ 

O CEO iniciou o evento comentando as seis indicações ao Oscar recebidas por duas produções originais da Apple. Entre elas, a de Melhor Filme para “No ritmo do coração”. O longa também aparece nas indicações a Melhor Ator Coadjuvante (Troy Kotsur) e Melhor Roteiro Adaptado (Siân Heder). Por sua vez, Denzel Washington concorre à estatueta de Melhor Ator por “A Tragédia de Macbeth”. Além disso, o filme disputa nas categorias Melhor Direção de Arte (Stefan Dechant) e Melhor Fotografia (Bruno Delbonnel).  

No evento que apresentou os lançamentos da Apple, Tim Cook anunciou que o serviço Apple TV+ transmitirá esportes ao vivo. Mais especificamente, partidas de beisebol nas noites de sexta-feira (Friday Night Baseball) – inclusive para o Brasil.

iPhone 

A família iPhone continua crescendo. Aliás, foram anunciados dois novos acabamentos na cor verde, contemplando o iPhone 13 e o iPhone 13 Pro. Mas a grande novidade nesse portfólio ficou por conta do novo iPhone SE

Agora, o iPhone mais acessível da linha conta com o processador A15 Bionic – o mesmo do iPhone 13. Com isso, o novo iPhone SE fica ainda mais rápido, oferecendo uma experiência aprimorada em praticamente tudo. Para completar, tem tecnologia 5G, Touch ID, mais autonomia de bateria e um novo sistema de câmera. Aliás, este é um capítulo à parte! Afinal, incorpora recursos avançados como Smart HDR 4, Estilos Fotográficos e Deep Fusion. Tudo isso com o icônico design em vidro e alumínio, oferecido em três opções de cor. 

iPad 

Logo após revelar o novo iPhone SE, Tim Cook mudou o foco da apresentação para o iPad. No preâmbulo, o CEO destacou características e avanços tecnológicos recentes já bem conhecidos do dispositivo. Em seguida, anunciou mais um dos aguardados lançamentos da Apple para 2022: o novo iPad Air. Segundo Cook, o produto inaugura outro patamar em termos de desempenho, com a chegada do chip M1. Ou seja: nada menos que o mesmo processador embarcado no iPad Pro! “É um grande salto”, resumiu a gerente do programa de engenharia do iPad, Angelina Kyazike. 

O chip M1 garante um enorme aumento de desempenho até mesmo para os aplicativos mais exigentes. Além disso, oferece incrível eficiência energética e autonomia de bateria para o dia inteiro. Aliás, o novo iPad Air está 60% mais rápido e com o dobro do desempenho gráfico em relação ao modelo anterior. Ou seja: dá para editar fluxos simultâneos de vídeo em 4K, rodar jogos com excelência e muito mais! 

Para completar, a nova câmera frontal Ultra Wide de 12MP com Center Stage faz panorâmicas automáticas para manter os usuários na tela enquanto se movimentam. Outros destaques celebrados na apresentação foram a conectividade 5G e a porta USB duas vezes mais rápida, além da compatibilidade com uma gama de acessórios que potencializam ainda mais o iPad. 

Mac Studio: a estrela dos lançamentos da Apple  

Com um verdadeiro espetáculo audiovisual, foi apresentada a grande estrela do evento de lançamentos da Apple: o Mac Studio. Para começar, Tim Cook salientou a revolução tecnológica trazida pelo chip M1, citando os onipresentes benefícios dessa família de processadores. Citando os “irmãos” M1, M1 Pro e M1 Max, o CEO preparou o terreno para anunciar outro integrante da família… o M1 Ultra

Introduzido como um salto gigantesco, o M1 Ultra inaugura patamares inéditos em termos de desempenho e eficiência energética. Para se ter uma ideia, ele chega a ser quase 8 vezes mais rápido que o (já revolucionário) M1. Aliás, como é marca registrada da Apple, o componente foi desenvolvido para integração perfeita ao software proprietário. Assim, a união do M1 Ultra e o MacOS propicia níveis incomparáveis de performance. E é exatamente desse casamento que nasce o mais novo e poderoso Mac de todos os tempos: o Mac Studio

Focado em atividades que demandam muita velocidade de processamento, o novo computador da Apple une desempenho, conectividade e modularidade. Por isso, a marca apresentou também o melhor companheiro para tanta potência: o Studio Display. Trata-se de um monitor de 27” com bordas finas que promete deixar todos os concorrentes para trás. Isso porque o dispositivo tem tela Retina 5K e tecnologias como True Tone (para ajuste automático de temperatura de cor), revestimento antirreflexivo e opção de vidro nano-texture para um efeito matte. Dotado de processador A13 Bionic, traz câmera Ultra Wide de 12MP com Center Stage – recurso até então inédito no Mac. Há ainda três microfones dignos de estúdio, seis alto-falantes de alta fidelidade e suporte a áudio espacial. A conectividade também é plena com 2 portas USB-C e uma Thunderbolt – que pode ser usada, por exemplo, para carregar um MacBook e plugá-lo a até três monitores. 

Compacto e poderoso 

Compacto e absurdamente poderoso, o Mac Studio é um desktop de alta performance completamente reimaginado pela Apple. Isso porque os engenheiros da empresa conseguiram atingir um desempenho inacreditável numa caixinha relativamente pequena, que remete ao design do Mac Mini. Para tanto, o projeto traz um sistema inédito de refrigeração, que é ao mesmo tempo compacto, eficiente e silencioso. O Mac Studio também é incrivelmente eficiente, consumindo 100W a menos de energia do que os chips dos PCs mais rápidos.  

Na traseira do Mac Studio há quatro portas Thunderbolt 4, uma Ethernet, duas USB-A, conector HDMI e uma entrada para fones. Por sua vez, o painel frontal traz mais duas portas Thunderbolt 4 e um leitor de cartão SDXC. 

Para se ter uma ideia do que tudo isso significa em termos do conectividade e poder de processamento, o Mac Studio suporta até quatro monitores e um televisor simultaneamente. Ou seja: o xodó dos lançamentos da Apple no evento desta terça-feira é simplesmente o Mac mais poderoso da história! Bem… pelo menos até agora – pois a Apple segue se superando dia após dia. 

Foto: Apple/Divulgação