A ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de qualquer momento de crise ou ameaça. Porém, quando esse sentimento é vivenciado em níveis altos e constantes, ele pode se tornar bastante prejudicial à saúde. Não somente em função de fatores psicológicos, mas por reflexos físicos também. Exemplos disso são o surgimento de dores musculares, náuseas e aumento da gordura corporal, entre outros.

Portanto, sobretudo neste período de isolamento motivado pelo coronavírus, é fundamental encontrar maneiras de reduzir e controlar a ansiedade. Afinal, a privação do convívio social e a ideia de estar ou ficar doente geram um cenário de muitas angústias.

Diante disso, pessoas que normalmente já sofrem de ansiedade são especialmente propensas a passar por momentos difíceis nesta pandemia. Então, veja a seguir algumas dicas para garantir mais tranquilidade aos seus dias de quarentena em casa.

 

7 estratégias para combater a ansiedade na quarentena

Independentemente de você fazer parte de algum grupo de risco do Covid-19, cuidar da saúde física e mental é essencial. Logo, a primeira dica para viver bem é manter o contato com aquelas pessoas de quem você mais gosta. Ainda que não seja possível realizar encontros presenciais, recursos como FaceTime encurtam as distâncias no ambiente virtual.

Além disso, com o iPhone e o iPad você dispõe de ótimas ferramentas para fortalecer a saúde e o autocuidado. Portanto, a partir deles, procure investir nestas 7 estratégias contra a ansiedade:

 

  1. Pratique o enfrentamento de suas incertezas

Estudos mostram que pessoas com mais dificuldade em aceitar a incerteza apresentam níveis mais altos de ansiedade. Logo, uma boa estratégia é aprender a enfrentar as inseguranças de forma gradual. Ou seja: tentar diminuir os comportamentos que expressam suas buscas por certezas. Assim, comece aos pouquinhos e experimente não partir imediatamente em busca de respostas para todas as suas dúvidas.

Para tanto, evite usar seus dispositivos exclusivamente para pesquisar atualizações sobre o Coronavírus. Pelo contrário: use o iPhone para aprender a meditar, para adotar um pet, jogar ou criar figurinhas novas para WhatsApp.

 

  1. Combata o paradoxo da ansiedade

Note que a ansiedade aumenta proporcionalmente à sua vontade de livrar-se dela. Desse modo, a luta contra esse sentimento pode assumir várias formas. Válvulas de escape comuns incluem curtir filmes, séries e games ou navegar por perfis de humor no Instagram, por exemplo.

Contudo, embora tais comportamentos possam ajudar momentaneamente, “desviar-se” da ansiedade não resolve o problema. Logo, o melhor a fazer é permitir que seus pensamentos, emoções e sensações ocorram. Diante disso, observe-os e descreva-os para si ou para outras pessoas. Dessa forma, será possível acolher a ansiedade na hora em que ela surge, evitando seu acúmulo ao longo do tempo.

 

  1. Transcenda a ansiedade existencial

Ameaças à saúde, como o coronavírus, despertam a maior de todas as angústias: o medo da morte. Assim, a ameaça à vida pode consumir ou tornar as pessoas obcecadas por qualquer mínimo sinal de enfermidade. Por isso, nesses momentos, procure conectar-se ao seu propósito de vida ou dedique-se a causas sociais. Afinal, essa estratégia pode ajudar muito a lidar com uma ansiedade inevitável.

Aliás, fazer o bem ao próximo também pode valer descontos especiais em suas compras na iPlace. Por que não unir o útil ao agradável, né? 🙂

 

  1. Aposte na resiliência humana

A mente humana costuma ser ótima em prever o pior. Inclusive, pesquisas mostram que as pessoas tendem a superestimar o quanto serão afetadas por eventos negativos. Além disso, subestimam a capacidade de lidar com situações difíceis e de se adaptar a elas. Porém, o ser humano também costuma ser mais resiliente do que imagina.

Portanto, confie no seu potencial de atravessar momentos difíceis: é provável que você saia mais forte do que entrou.

 

  1. Não superestime a ameaça

Com taxa de mortalidade estimada em 1,4 a 2,3%, o Coronavírus precisa ser levado a sério, especialmente por autoridades. Porém, mesmo representando significativo risco à saúde, a epidemia pode ser reduzida se todos seguirem as recomendações dos órgãos oficiais.

Ao mesmo tempo, a cobertura intensa da mídia e o compartilhamento incessante de informações em redes sociais aumentam a sensação de perigo. Consequentemente, isso tudo provoca o aumento do medo, da angústia e da ansiedade. Por isso, que tal limitar sua exposição a notícias sobre o coronavírus a não mais do que 30 minutos diários? Defina um horário para colher as atualizações – por exemplo, durante um telejornal específico.

Além disso, evite contribuir com a disseminação de notícias falsas, pois elas só pioram a situação. Estamos em 2020 e não é difícil verificar a autenticidade de uma informação antes de compartilhá-la, certo? Outra forma de gerenciar sua atenção a aplicativos e sites é ativar o Tempo de Uso no iPhone ou iPad.

 

  1. Invista no autocuidado

Neste período de pandemia e isolamento, dedique-se às melhores estratégias de prevenção e redução da ansiedade. Afinal, todas estão diretamente relacionadas ao cuidado com sua saúde física e mental. Por isso, invista em você: durma adequadamente, faça exercícios regulares, pratique meditação, aprecie a natureza e relaxe. Tudo isso contribui para ampliar seu bem-estar psicológico, além de reforçar seu sistema imunológico.

 

  1. Busque ajuda profissional sempre que possível

Não deixe que a ansiedade transforme sua saúde ou suas relações profissionais e pessoais. Portanto, diante de qualquer necessidade, busque a ajuda de um profissional. Aliás, durante a quarentena, a maioria dos psicólogos têm feito consultas online – em alguns casos, até gratuitamente.

 

Foto: iStock/Rawpixel