Como se sabe, a música tem influência direta sobre o cérebro humano. Aliás, os diferentes estímulos gerados ao corpo e à mente por ela são objeto de estudo para a Neurologia. Assim, quanto à prática esportiva, por exemplo, já se sabe que determinados ritmos impulsionam o desempenho e retardam a fadiga.

Por outro lado, quando se trata do ambiente de trabalho, o assunto acaba dividindo opiniões. Afinal, ouvir música enquanto você realiza as atividades profissionais contribui ou prejudica sua produtividade?

Conforme um estudo realizado no Reino Unido e publicado pela revista Psychology Cognitive Applied, a música prejudica significativamente a criatividade. A conclusão foi baseada num teste que mediu os efeitos de diferentes melodias executadas durante a resolução de tarefas. A pesquisa desafiou dois grupos de pessoas a montar uma série de quebra-cabeças projetados para medir criatividade e estimular insights.

Enquanto uma equipe cumpriu a atividade em silêncio, a outra foi submetida a músicas de fundo. Como resultado, o grupo que trabalhou em silêncio obteve melhores notas. Isso independentemente de as canções serem familiares ou desconhecidas, vocais ou estritamente instrumentais. Porém, tais dados não são suficientes para justificar o abandono dos fones enquanto você trabalha. Outras pesquisas sobre música e criatividade apontam que tudo vai depender do tipo de tarefa e do estilo da música.

 

A música ideal para o seu tipo de atividade

Publicado pela revista Plos One, outro estudo demonstrou que melodias “felizes”, como músicas clássicas otimistas e estimulantes, são úteis ao pensamento divergente. Ou seja: elas contribuem com tarefas que requeiram criatividade, combinações inesperadas e associações remotas, por exemplo. No entanto,  sobre as razões para a música alegre estimular novas ideias ou estratégias há, até o momento, somente hipóteses. Uma teoria apresentada no estudo é a de que a natureza estimulante da música animada energize o cérebro. Dessa forma, promoveria um “estilo de pensamento flexível”, levando a ideias não convencionais ou inovadoras.

Outras possibilidades apontam para o fato de a música mais animada contribuir para diminuir a ansiedade e melhorar o humor. Dessa forma, seriam alternativas perfeitas para tornar tarefas repetitivas mais interessantes e divertidas. Além disso, a música poderia garantir paz e concentração para trabalhar em ambientes ruidosos.

Da mesa forma, os ritmos podem ajudar a desviar o foco de um problema central e fazê-lo progredir para solução. Afinal, sempre que você fica preso num bloqueio criativo, uma distração qualquer é capaz de liberar sua mente. Aliás, muitas são as pesquisas que conectam divagação a inspiração criativa. Outras, ainda, indicam que os chamados sons bineurais podem estimular o cérebro a melhorar a concentração e a produtividade.

Sendo assim, a dica é caprichar na escolha de sua playlist e tentar fazer uma autoavaliação sincera de desempenho! Vale lembrar que a partir do Apple Music, disponível no e-commerce da iPlace, há mais de 50 milhões de músicas para lhe inspirar!

Foto: iStock/vadimguzhva