Som na caixa! E olho na saúde

A música traz muitos benefícios para a saúde e o bem-estar humanos. É comprovado: você sabia que até as maiores instituições de saúde do país usam canções com fins terapêuticos? O Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, por exemplo, cria playlists especiais para seus pacientes, alinhadas aos tratamentos que fazem.

Por lá, a música é utilizada até durante procedimentos como o cateterismo cardíaco, e os médicos afirmam já terem verificado benefícios imediatos sobre os pacientes e sobre a equipe multiprofissional que atua no procedimento.

E se faz bem à saúde de quem está se tratando, imagine para quem está a mil por hora, esbanjando vivacidade! A música tem poder social, engajador, de entretenimento, motivador, entre muitos outros que devem ser usados sem moderação.

Agora, o volume de tudo isso, este sim pede cuidado e controle. A ciência comprovou, por exemplo, que usar fones de ouvido em volume muito alto pode trazer problemas de audição.

Vamos aqui te dar algumas dicas para curtir sua playlist da melhor forma possível, colhendo só os resultados positivos.

Proteja seu fone de ouvido

Não basta jogá-lo na bolsa, é sempre bom ter uma embalagem adequada para guarda-lo, evitando que se contamine com sujeira e cause problemas aos ouvidos, como fungos e infecções.

Utilize por, no máximo, 8 horas seguidas

Fones de ouvido devem ser usados por, no máximo, 8 horas por dia, em um volume de até 85 decibéis. Segundo a Sociedade Brasileira de Otologia, se passar disso, o tempo de exposição tem de reduzir.

O fone certo para cada ocasião

O fone de inserção (aquele que vai dentro do ouvido) amplifica o efeito do som, enquanto o fone de oclusão (o que fica ao redor da cabeça) barra melhor o som externo. Logo, para quem vai usar os fones em locais de muito ruído, a melhor pedida são os modelos de oclusão. Porém, tanto com um, quanto com outro, é preciso ter atenção, pois os fones tiram a atenção de alertas externos importantes, como os de trânsito. Tenha cuidado para não viajar no mundo da música e se expor a riscos desnecessários.

Música em seus exercícios

Um bom fone de ouvido é tudo na vida para quem pratica exercícios. Afinal, a música tem poder motivador comprovado cientificamente, e pode aumentar sua disposição para a malhação, mas nem todo mundo é obrigado a compartilhar da sua playlist. Moderação e educação = receita de curtição sem problemas.

Utilize o fone nos dois ouvidos

Sempre que usar fone, use-os nos dois ouvidos. Segundo médicos, o uso de fone unilateral pode causar doença do labirinto (labirintopatia), além de perdas auditivas e problemas nas funções de localização, discriminação e estereofonia do ouvido.

E as caixas de som?

Bom, se o mote for dividir o som com a galera, animar a festa, aí sim uma boa caixa de som faz a diferença. Aqui vão algumas indicações para escolher a que mais se adequa a cada propósito.

Festa: para animar aquele encontro do pessoal, escolha modelos com graves potentes e baterias de longa duração. Além disso, a conectividade Bluetooth para atrelar as caixas a playlists salvas em seus devices é muito importante.

Dia de piscina: se for para rolar o som na presença de água – piscina, praia, cachoeira etc -, escolha modelos à prova d’água. FUNDAMENTAL.

Tô na pista, mas tô ocupado: para quem não para e precisa atender ligações mesmo enquanto curte um som na caixa, o ideal é optar por modelos que ofereçam conexão com smartphones e tenham microfone embutido. Isso permitirá fazer as chamadas sem problema.

No carro: para animar o passeio, a viagem ou até aquele deslocamento de trabalho em meio a um trânsito caótico, nada melhor que uma musiquinha. Para estas horas, opte por caixas com acessórios como alças de encaixe para as viseiras de veículos. O peso também importa muito: penduradas no interior do carro, as caixas precisam ser leves. Completando, a conectividade Bluetooth possibilitará usar comandos de voz em serviços como a Siri.

Estas são as nossas dicas de hoje. Coloque-as em prática e curta muito!

There are currently no comments.